Hiva Oa

Hiva Oa

 

Texto e fotos: Jaime Bórquez

 

Há também quem venha até estas longínquas ilhas para render homenagem e saber mais sobre a vida e obra de dois artistas que viveram e morreram nestas terras, o cantor e ator belga Jacques Brel, e o grande pintor Paul Gauguin. Ambos estão enterrados em Hiva Oa, no cemitério de Atuona, um a poucos metros do outro. Gauguin disse que queria viver em paz, longe da civilização, descobrir as raízes da pintura, o primitivismo, e levar isso aos seus quadros. Foi morar em Papeete, onde conheceu a jovem nativa Teherua, de tão só 13 anos, a qual foi sua modelo e companheira.

 

Os tempos de paz, interior e exterior, não duraram muito. Gauguin se envolveu em brigas, tanto de bar como políticas, com gente ligada ao poder, e achou que nas Ilhas Marquesas poderia ter maior tranqüilidade. O problema não era Papeete, era seu próprio temperamento. Gauguin mudou para Hiva Oa e viveu em Atuona, na famosa Maison du Jouir, nome com fortes conotações eróticas. Hoje há um interessante museu no lugar e a casa foi reconstruída respeitando as linhas originais. Nos seus últimos dias, sofria de sífilis em avançado estado, tinha problemas numa perna que quase o impediam de caminhar, e as dores eram afogadas com morfina e boas doses de absinto. Morreu aos 54 anos, uns dizem que do coração, outros de overdose, ou em decurso da sífilis, mas, não há um registro médico exato disto. Foi na Polinésia onde Gauguin pintou suas mais famosas obras, Menina do Leque, Ta Matete, Vairumati e Mulheres de Taiti na Praia. Foram mais de 70 quadros que hoje estão nos melhores e mais famosos museus do mundo.

 

Tumulo de Paul Gauguin

JBA 1289

Túmulo de Paul Gauguin

 

Jacques Brel chegou as Marquesas navegando em seu iate, em 1974. Já lhe tinham detectado um pequeno tumor no pulmão. Assim como Gauguin, Brel se encantou com a vida simples da ilha, longe de praticamente toda a influência da "civilização". Entre idas e vindas, Brel vendeu o iate e comprou uma modesta casa em Hiva Oa e um avião bimotor, ao que batizou de Jojo, um grande amigo francês, que tinha falecido havia pouco tempo. Sua doença avançava, mas, ele dedicava sua vida a encurtar o isolamento dessas ilhas, utilizando seu avião para transportar correio e pessoas.

 

cartaz aeroporto

 

Na ilha, há muita gente que gosta de contar o que Brel fazia, como os passeios no seu jipe levando a criançada só pelo prazer de ouvir suas risadas, ou da vez que os habitantes de Hiva Oa puderam ver, pela primeira vez nas suas vidas, esse incrível espetáculo chamado cinema. Brel montava um telão na praça, levava projetor e gerador e passava filmes a uma plateia maravilhada. Viajou a Paris para novos tratamentos, vindo a falecer no hospital. Mas, seu desejo foi respeitado, levando seu corpo até as Ilhas Marquesas, onde foi sepultado em 1978. Tinha 49 anos.

 

Tumulo Jaques Brel

Túmulo de Jacques Brel

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar