O que fazer para evitar ser enganado?

ba1

Foto: Viagem News

 

Você já ouviu falar nos golpes aplicados por taxistas e motoristas de aplicativos que trabalham na capital argentina? Esses golpes ganharam fama entre os turistas brasileiros nos últimos anos, por causa dos inúmeros relatos na internet e no Youtube, feitos tanto por turistas quanto por brasileiros que vivem em Buenos Aires. Mas, em primeiro lugar, temos que nos lembrar que isso acontece em quase todas as principais capitais do mundo, pois em todo lugar há pessoas honestas e desonestas.

 

A porta de entrada para a capital argentina é o Aeroporto Internacional Ministro Pistarini, o principal do país, mais conhecido como Aeroporto Internacional de Ezeiza por estar localizado na cidade de Ezeiza que faz parte da Grande Buenos Aires, chamada de C.A.B.A. Cidade Autônoma de Buenos Aires. Do aeroporto ao centro de Buenos Aires são 31,2 Km percorridos em 35 minutos a uma hora dependendo do trânsito. Assim, logo na chegada à capital portenha, o turista que não viajou com um serviço de traslado já contratado, corre o risco de viver a experiência desse velho problema conhecido dos turistas brasileiros.

 

Pois bem, há várias maneiras de ir do aeroporto ao centro de Buenos Aires: alugar carro, contratar serviço de traslado com agências de turismo ou com empresas que oferecem serviço de motorista particular, ônibus do transporte público, ônibus executivo, ônibus de viagem, táxi oficial do aeroporto, táxis comuns e carros de aplicativos. Com exceção do ônibus intermunicipal que leva 2 horas de viagem até a Plaza de Mayo, na região central, todas as outras opções de transporte terão um custo considerável, o que é normal levando-se em conta a distância a ser percorrida, dada a localização do aeroporto. Até então, tudo bem. Os problemas ocorrem quando motoristas de aplicativos e de táxis comuns utilizam de velhas artimanhas para ganhar um troco a mais, que vão desde taxímetro adulterado, cobrança de preços maiores, voltas desnecessárias. E, no caso específico dos motoristas de aplicativos, além do fato de muitos motoristas de Uber só aceitarem pagamento em dinheiro, outros aplicam um golpe no final da viagem, quando dizem ao passageiro que o aplicativo deu um problema e a corrida não foi cobrada, exigindo que o pagamento seja feito em dinheiro ali na hora, quando na realidade, houve a cobrança no cartão e o passageiro acaba por pagar duas vezes pela mesma viagem. Dizem que o aplicativo Cabify é mais confiável, apresentam carros melhores e aceitam cartão normalmente na Grande Buenos Aires.

 

Entre os taxistas, o mais famoso golpe é o da nota alta, aplicado quando eles a recebem e devolvem o troco a menos, fingindo que receberam um valor menor. E quando questionados, começam a gritar e passam a ofender o passageiro.

 

ba3

Protesto de taxistas argentinos contra os aplicativos de transporte realizado no dia 7 de novembro de 2019, na cidade de Buenos Aires. Foto: Viagem News

 

Comigo aconteceu o seguinte: eu peguei um táxi num ponto que fica na Rua Córdoba, esquina com a Rua Florida, onde se localiza a famosa Galerías Pacifico, com destino ao hotel em que eu estava hospedado. Além do motorista fazer um caminho maior pegando a grande Av. 9 de Julho cheia de trânsito, a qual nem precisava ter pego uma vez que a rua do hotel ficava a uma quadra antes dela, ao chegar no destino, o taxímetro marcava um determinado valor, peguei o dinheiro dei ao motorista e para minha surpresa ele apontou para o taxímetro, o qual já registrava um valor um pouco maior. Os poucos segundos que se passaram enquanto eu pegava o dinheiro trocado já foi tempo suficente para que o taxímetro, que não havia sido finalizado como deveria, continuasse a correr e registrasse um valor maior. Assim, eu dei ao motorista do táxi a quantia que eu tinha pego no bolso e que correspondia ao valor exato registrado no taxímetro no momento da chegada ao destino, e surpreendentemente, o mesmo começou a gritar comigo. Mesmo eu estando certo, resolvi pagar o valor maior, para encerrar logo a pequena discussão, e então ele não aceitou e acabei por pagar o valor correto. Ele sabia o que ele havia feito de errado. Se o taxista tivesse realizado o caminho certo, eu teria chegado uns 15 minutos antes ao hotel, teria desembarcardo na porta do hotel e não numa esquina a uns 40m de distância e teria pago um valor consideravelmente menor.

 

ba2

À esquerda da foto, táxis parados no ponto de uma das esquinas da Rua Córdoba X Rua Florida. Foto: Viagem News

 

Como evitar os golpes

 

Evitar totalmente cair em qualquer um desses golpes, só mesmo se você não utilizar táxi ou aplicativos. Mas, há maneiras de minimizar os riscos:

 

No aeroporto

 

1) Antes de viajar, planeje quais os meios de transporte que vai utilizar no traslado do aeroporto ao hotel e durante sua estadia na Argentina, para chegar lá já com uma ideia definida de qual meio de transporte será o melhor para você.

 

2) Contratar um serviço de traslado pode ser uma boa opção, principalmente para viajantes em família ou grupo.

 

3) Alugue um carro no aeroporto. Essa pode ser outra boa opção para quem não se importar de dirigir no trânsito argentino.

 

4) Para aqueles que optarem por pegar táxi, o mais recomendável é pegar um táxi oficial do aeroporto. Há guichês da empresa no saguão, onde se pede a corrida e se paga por ela adiantado, evitando-se qualquer aborrecimento posterior. Há os táxis comuns, mas esses são mais arriscados.

 

5) Dizem que é melhor evitar os aplicativos de transportes no aeroporto porque a área de embarque deles é mais longe e também há riscos de golpes.

 

Na cidade de Buenos Aires

 

1) Peça para o recepcionista do hotel chamar um táxi. Normalmente eles já possuem um rol de taxistas conhecidos deles e que são confiáveis.

 

2) Também evite tomar os táxis estacionados no ponto das esquinas das Rua Córdoba x Rua Florida, próximo às Galerias Pacífico, prefira tomar um que estiver passando na rua.

 

Como foi dito no começo deste artigo, há pessoas honestas e desonestas, portanto, não se pode generalizar, peguei vários táxis e em todos eles, à exceção do mencionado no texto, os motoristas foram corretos e simpáticos também. Inclusive, recomendo que contrate um táxi para te levar às atrações turísticas mais distantes do centro e até mesmo para fazer um city tour porque vale a pena no quesito custo-benefício. Obviamente, combine o preço antes.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar