Posso usar a internet do celular durante o voo? Tenho que pagar pela comida e bebida servidas a bordo? Como faço para chamar uma comissária de bordo quando ela não estiver por perto? Os comissários dormem nos voos longos? Se sim, onde?

avioes

Aviões estacionados no Aeroporto Internacional de  Guarulhos. Foto: Viagem News

 

Quem já viajou de avião com certeza já teve várias dúvidas e curiosidades relacionadas ao voo, tanto nos procedimentos antes do embarque, durante e a bordo da aeronave. Imagine então, o turbilhão que se passa na cabeça do passageiro que vai voar pela primeira vez. Além das dúvidas básicas de como e quando fazer o check-in, despachar as bagagens, pagar pelo despacho, tempo mínimo de antecedência que deve chegar ao aeroporto, o que é e não é permitido levar na bagagem de mão, o tamanho máximo da mala de mão permitido, outras inúmeras questões invadem a mente desse passageiro, principalmente aquelas relacionadas ao que acontece a bordo do avião.

 

Os sites das companhias aéreas informam aos passageiros quanto aos procedimentos, normas e valores, porém, nem todos entendem tudo por completo. Então, quando isso acontece, o melhor a se fazer é entrar em contato o quanto antes com a companhia para dirimir as dúvidas, ou, chegar ao aeroporto mais cedo no dia da viagem e esclarecer todas as dúvidas no balcão de atendimento da companhia aérea com a qual irá viajar.

 

Os passageiros que já viajaram de avião várias vezes costumam dizer que voar não tem nenhum segredo. Mas, não é bem assim, com as constantes inovações tecnológicas, mudanças na legislação aeroportuária ou nas diretrizes das companhias aéreas, vira e mexe surge uma novidade em serviços e produtos oferecidos. E com elas, também surgem novas dúvidas e curiosidades.

 

Entre as novidades mais recentes está o serviço para a classe business que a Lufthansa oferece, colocando à disposição dos passageiros desta classe, garrafas de água mineral Elisabethen Quelle e petiscos em prateleiras alocadas na galley (cozinha do avião) em sistema self-service. Assim, se o passageiro sentir sede ou fome, é só ir até a cozinha e se servir. Outro serviço recém lançado é o autoatendimento no despacho de bagagem que a Latam está começando a implantar em alguns aeroportos brasileiros. Com esse sistema, o próprio passageiro despacha sua mala. Basta ir a um quiosque da companhia para imprimir seu cartão de embarque e etiqueta de bagagem, depois é só despachar a bagagem, já devidamente etiquetada, no local indicado. Leia aqui, a matéria com esse serviço oferecido pela Latam Airlines Brasil, a primeira a implantar o sistema em um aeroporto brasileiro.

 

luf agua

Garrafas de água mineral oferecidas aos passageiros da classe executiva da Lufthansa. Foto: Viagem News

 

Feito o check-in e despachada a mala, o viajante só tem que se dirigir ao portão de embarque do seu voo e esperar o início do procedimento de embarque conforme orientado pela companhia aérea. Normalmente, a ordem de embarque dos passageiros começa pelo grupo prioritário que inclui idosos, deficientes, gestantes, pessoas com crianças de colo e passageiros VIP’s da companhia, depois segue-se a ordem dos demais grupos.

 

Já a bordo do avião, as dúvidas e curiosidades mais corriqueiras suscitam perguntas como:

 

Posso trocar de lugar?

 

Se houver lugares vagos, deve-se perguntar para um comissário ou comissária de bordo se é possível fazer a troca de lugar explicando o motivo pelo qual deseja mudar de assento. Mas, lembre-se de que isso só é possível desde que haja lugar disponível dentro da mesma classe do bilhete aéreo comprado. Ou seja, se o bilhete for da classe econômica, não será permitido mudar para um assento da classe econômica premium, muito menos para a classe executiva ou primeira classe. Até mesmo dentro da classe econômica é proibido fazer a troca para as poltronas da primeira fileira porque são assentos reservados a idosos, crianças ou pessoas com necessidades especiais e também porque se paga uma taxa a mais por elas por causa do maior espaço para as pernas que proporciona mais conforto, além de ficarem mais próximas à porta do avião . Vale lembrar também que para ocupar os assentos localizados na fileira das saídas de emergências, as regulamentações internacionais exigem que os passageiros atendam aos seguintes critérios:

 

- Falar inglês e/ou espanhol,

- Ter 15 anos de idade ou mais,

- Viajar sem o acompanhamento de crianças e/ou animais,

- Conseguir levantar 22,68 kg (peso da porta da saída de emergência),

- Não usar extensor de cinto de segurança,

- Ser capaz de auxiliar em uma situação de emergência. 

Na fileira das saídas de emergência há mais espaço para as pernas, contudo, as poltronas não reclinam tanto como as demais por razões de segurança.

 

saida

Fileira da saída de emergência de um avião. Foto: Viagem News

 

Se o bagageiro acima da minha poltrona estiver cheio, posso colocar minha bagagem em outro lugar?

 

Pode, mas chame a comissária para orientá-lo. Em alguns casos, ela poderá pedir para colocar a bolsa ou mochila debaixo do assento da frente.

 

Posso usar o celular no avião? E o notebook, laptop e tablet?

 

aviao

Foto: Viagem News

 

Antes da aeronave decolar, o uso do celular ou qualquer outro dispositivo eletrônico é permitido até que seja dado um aviso para desligá-lo ou colocá-lo em modo avião, o que deve ser feito imediatamente após esse aviso. Durante o voo a comissária comunica quando pode religar o aparelho, entretanto, lembre-se de que se a aeronave não oferecer uma rede wi-fi, e se o teu dispositivo não tiver conexão via satélite, a internet não funcionará até que esteja em uma altitude e área servida por sinais de telecomunicação. No momento do pouso, outro aviso será dado para desligar novamente seu dispositivo eletrônico ou colocá-lo em modo avião, até que o avião aterrisse e pare por completo.

 

Como faço para chamar um comissário?

 

Para chamar um comissário, basta apertar o botão indicado com o desenho de uma pessoa no painel que fica acima da tua poltrona. Uma luz se acenderá acima da tua poltrona e no painel dos comissários, e logo um deles virá te atender.

 

Tenho que pagar pelas comidas e bebidas servidas a bordo do avião? Posso repetir?

 

swiss swiss2

Refeição e sobremesa servida na classe executiva da Swiss na rota Zurique - São Paulo no final do ano de 2015. Foto: Viagem News

 

Antes de responder a essa pergunta, vou relatar um dos vários casos que aconteceram nos voos do Brasil para o Japão no final da década dos anos 1980. Naquela época, começou a faltar mão de obra na indústria e na construção civil na terra do sol nascente, porque os jovens japoneses com estudo não se sujeitavam a esses tipos de trabalho. Então, ocorreu uma onda migratória de brasileiros descendentes de japoneses que em busca de uma vida melhor, viajavam para o Japão para trabalhar em fábricas e outros trabalhos pesados, eram os chamados “dekaseguis” (junção dos verbetes deru, sair, com kasegu, ganhar dinheiro), termo utilizado no Japão para designar todos os trabalhadores estrangeiros residentes no Japão, com ou sem ascendência japonesa. Bem, entre esses emigrantes, haviam pessoas de origem muito humilde que nunca haviam viajado de avião, ainda mais internacionalmente, lembrando que naqueles tempos, viajar de avião era um artigo de luxo, pelo qual poucas pessoas podiam pagar. Alguns desses dekaseguis chegavam ao Japão enfraquecidos e desidratados, outros chegavam passando mal, e, quando as autoridades e os responsáveis foram averiguar o motivo disto acontecer, descobriram que isso acontecia porque esses humildes trabalhadores não haviam comido e nem bebido nada durante a longa viagem de 26, 27 horas, sendo que muitos não haviam nem sequer consumido qualquer coisa nos aeroportos durante a longa espera antes do embarque e na conexão, por motivos óbvios, que são os altos preços dos produtos comercializados nos aeroportos. Naqueles anos, as refeições servidas a bordo não eram cobradas, mas, como os trabalhadores não eram informados sobre isso pelos agenciadores, eles pensavam que tinham que pagar pelas refeições e ainda achavam que o preço devia ser muito alto, por isso, quando as comissárias passavam oferecendo comidas e bebidas, eles não aceitavam. Alguns até dormiam durante todos os trechos apenas para não passar fome. Seria cômico se não fosse trágico.

 

Hoje em dia, nos voos domésticos no Brasil, normalmente os lanches e bebidas são cobrados, principalmente nos voos curtos. Mas, isso depende da companhia aérea, e quando isso acontece, o passageiro é avisado, contudo, se estiver na dúvida não hesite em perguntar. Nos voos internacionais, há algumas companhias aéreas que cobram pelas refeições e há outras que não. Na hora da compra do bilhete aéreo é informado ao passageiro sobre a cobrança da refeição a bordo e no caso dele optar pela refeição, ele já escolhe sua refeição entre as opções oferecidas e faz o pagamento junto com a passagem aérea. No entanto, isso varia de companhia para companhia, assim, o melhor a se fazer é consultar antes de comprar o bilhete aéreo.

 

aa

Lanche servido na classe econômica da Aerolineas Argentinas na rota São Paulo - Buenos Aires em novembro de 2019. Foto: Viagem News

 

Outra dúvida corriqueira é se pode ou não repetir a refeição e bebidas servidas nos voos. Em relação às bebidas, quando não são cobradas, normalmente pode. É até comum os comissários passarem uma segunda vez com o carrinho durante o serviço de bordo oferecendo mais bebidas aos passageiros. Já no que diz respeito às refeições, a resposta é não. Porém, às vezes é possível repetir um lanche.  Se estiver com muita fome, peça ao comissário na hora em que a refeição for servida.

 

Para onde vão os dejetos do banheiro do avião?

 

Muitas pessoas, pasmem, ainda pensam que os dejetos descartados nos banheiros do avião são lançados para fora da aeronave como no início da história da aviação. Não, não é isso o que acontece. Os dejetos produzidos dentro dos banheiros são sugados para um ou dois reservatórios, dependendo do tamanho da aeronave, posicionados na parte traseira do avião. Os grandes aviões de viagens intercontinentais, como por exemplo o Boeing 747, contam com dois reservatórios de 250 litros cada. Por lei, deve haver um banheiro para cada 50 passageiros, uma vez que cada pessoa é capaz de eliminar 1,4 litro de fezes e urina em 24 horas.

 

O sistema de sucção dos banheiros funciona pela diferença de pressão da área interna do avião e dos canos que levam aos reservatórios. Além disso, o vaso é feito de material antiaderente e os dejetos sólidos são transformados em líquido dentro do próprio avião, através da ação de substâncias bactericidas. Como o reservatório é pressurizado e está instalado num local distante, o mal cheiro não chega nem perto dos passageiros. Esses reservatórios são esvaziados toda vez que o avião chega ao aeroporto de destino, através de uma mangueira que é conectada a um caminhão dedicado a esse serviço, e que leva todo o dejeto coletado para uma área reservada do aeroporto onde se descarta tudo na rede de esgoto.

 

A tripulação dorme nos voos mais longos? Em qual local?

 

Uma outra dúvida ou curiosidade, eu diria até um mistério, frequente dos passageiros que estão num voo de longa distância, é saber se a tripulação também dorme durante a viagem. E se dorme, em qual local fazem isso? Já perceberam que num voo longo, após servirem a refeição, as comissárias dão uma sumida? E então, aparece uma ou outra para ver se está tudo em ordem com os passageiros? Mas, aonde elas estão? Seria na galley (cozinha da aeronave), nos assentos que elas ocupam nos momentos da decolagem e aterrisagem? Felizmente para a tripulação, não. Felizmente porque os assentos da tripulação não reclinam e não são muito confortáveis para descansar. Vamos solucionar esse mistério respondendo à primeira pergunta: Sim! As comissárias também dormem nos voos longos. Se pararmos para pensar, essa resposta é até óbvia, porque se elas não dormissem, como ficariam com aquela aparência impecável e com aquele sorriso estampado no rosto na chegada ao destino?

 

Bom, se a tripulação dorme e os passageiros não veem, então, onde é esse misterioso e secreto local de descanso? É no sarcófago! Sim, o nome é um tanto esquisito, mas facilmente aceitável e compreendido quando se vê o compartimento localizado na parte traseira e dianteira da aeronave e é acessado por uma escada. O compartimento possui leitos com cintos de segurança, iluminação e ventilação individuais, máscaras de oxigênio, além de detector de fumaça, saída de emergência e sistema de comunicação com a cabine do avião.

 

sarcofago

sarcofago1 sarcofago2

Leitos para o descanso da tripulação no compartimento chamado de "sarcófago". Fotos: Viagem News

 

O site da ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil, responsável por regular e fiscalizar as atividades da aviação civil e a infraestrutura aeronáutica e aeroportuária no Brasil, dispõe de perguntas e respostas sobre as dúvidas mais frequentes dos passageiros. Para acessá-las clique no link: https://www.anac.gov.br/consumidor/perguntas-frequentes/passageiros

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar