Foto: Divulgação

 

O turismo paulista conta com 140 MITs - Municípios de Interesse Turístico, onde cada região desponta como um incrível destino turístico a ser explorado e possui atrativos diferenciados que envolvem paisagens naturais, cachoeiras, trilhas, cultura e história ricas em tradições.

 

Separamos algumas cidades que não podem ficar de fora da sua lista de desejos e merecem ser visitadas pós-pandemia. Confira abaixo:

 

Cercado pelo verde da Mata Atlântica, o município de Itararé ainda é um destino a ser descoberto pelos turistas. Situada na região sudoeste do estado de São Paulo, fazendo divisa com o estado do Paraná, a cidade é privilegiada com uma beleza natural praticamente intocada.

 

Entre cânions, grutas e cachoeiras, Itararé não decepciona e oferece um leque de atividade voltadas para o ecoturismo. Além de inúmeras trilhas, o local conta com pontos para a prática de boia cross, mountain bike e rapel. Os destaques ficam por conta da Trilha do Segredo, Cachoeira do Corisco e o famoso cânion de Jaguaricatú. Considerado uma das paradas obrigatórias na região, ele fica entre o município paulista e a cidade de Sengés, no Paraná. Classificado como o oitavo maior cânion do mundo, sua área conta com uma extensa vegetação preservada e ótimos pontos para tirar fotos incríveis.

 

Vizinha dos municípios de Peruíbe e Pedro de Toledo, Itariri está encravada no Vale do Ribeira, na Serra do Mar. Com fácil acesso para quem sai da capital paulista, o lugar se destaca pela peculiar biodiversidade da Mata Atlântica que se mistura com o relevo acidentado dos vales.

 

 Itariri. Foto: Divulgação

 

Com várias opções para aproveitar o bioma da região, o município se aproveita das belezas da Reserva da Juréia Itatins. Por lá, é possível encontrar trilhas guiadas e o rio do Azeite que é propício para banho. As cachoeiras também não ficam fora do menu de atrativos e quase todas são abertas ao público e contam com piscinas naturais para que os visitantes possam se banhar. Destaque especial para as cachoeiras de Sete Quedas e Pedra da Moça.

 

Pertencente ao Circuito Turístico da Serra de Itaqueri, Itirapina é um desses destinos que surpreendem qualquer visitante já que por lá não faltam bons atrativos. A região abriga mais de 20 cachoeiras, de diferentes tamanhos e quedas d’águas, clima agradável, trilhas, mirantes, fazendas e vilas históricas e uma rica e diversificada culinária.

 

Entre as opções naturais encontram-se o Mirante das Águas e o Morro do Fogão são outras opções naturais para se divertir em Itirapina. Em seus 22 mil m², o mirante abriga as cachoeiras do Monjolinho com 12 metros, a da Ferradura com 47 metros e, a mais famosa, a do Saltão, com uma queda de 75 metros. Há também trilhas, área para camping, chalés, restaurante e uma pequena estrutura de lazer com piscina e playground.

 

Itirapina. Foto: Divulgação

 

Além disso, a cidade é também conhecida pelo seu rico turismo rural. Fazendas imponentes, fauna e flora abundantes cobertas pelo bem preservado cerrado paulista completam as belas paisagens.

 

O simpático município de Mogi Mirim já é conhecido entre os roteiros turísticos pelo interior da capital paulista. Ideal para quem deseja fazer um bate-volta ou curtir o fim de semana, a cidade conta com diversos atrativos para aproveitar com a família. Entre eles destacam-se o Parque Van Gogh, o Complexo Lavapés e o Voçoroca. Para os amantes de cerveja, Mogi Mirim dispõe de dois locais para apreciar a bebida: o Alambique Ipezinho e a Cervejaria Sauber Beer.

 

Mogi Mirim. Foto: Divulgação

 

Situada no Alto Paraíba, o município de Paraibuna fica no caminho do Litoral Norte e é abraçado pela Serra do Mar. Sua arquitetura colonial é, sem sombra de dúvidas, um dos principais atrativos e chama a atenção dos visitantes. Fundada em 1666, a cidade conta com casarios, fazendas e igrejas históricas e até hoje preserva manifestações culturais e folclóricas.

 

Paraibuna. Foto: Divulgação

 

Uma das paradas obrigatórias é a Igreja Matriz de Santo Antônio, famosa por seus traços influenciados pela cultura árabes. Recoberta por azulejos brancos e azuis, a construção também encanta por dentro com mosaicos e lustres.

 

Outro atrativo que não pode ficar de fora o roteiro é a represa de Paraibuna. Com mais de 700 quilômetros de extensão e 204 ilhotas para nativas, o local recebe visitantes que desejam andar de barco, praticar pesca esportiva, curtir as quedas d’água e a natureza.