Em cartaz de 21 de janeiro a 9 de fevereiro, a mostra reúne 17 filmes do consagrado diretor, em sessões gratuitas

 

Com uma carreira de cerca de 50 anos, o cineasta japonês Seijun Suzuki (1923-2017) produziu uma obra vasta e multifacetada, reverenciada por nomes como Jim Jarmusch e Quentin Tarantino. Em sua homenagem, o IMS Paulista apresenta uma retrospectiva do diretor, em cartaz de 21 de janeiro a 9 de fevereiro. A mostra, que é co-realizada com a Fundação Japão, reunirá 17 filmes, sendo 15 em cópias em 35mm e 2 em DCPs restaurados. A entrada de todas as sessões é gratuita, com distribuição de senhas 1 hora antes.

 

Conhecidos por seu tom humorístico, os filmes de Suzuki borram as fronteiras dos gêneros, ultrapassando as categorias tradicionais de narrativa. Marcada por uma estética surrealista, sua obra destaca-se pelas cores fortes e pelas cenas de ação. O cineasta começou sua carreira na década de 1950, nos estúdios Nikkatsu, que, na época, dedicavam-se a filmes de pequeno orçamento e alta popularidade, principalmente com histórias de máfia.

 

Deste período, a mostra apresenta Mire na viatura (1960), longa de ação com influência dos filmes de gângster do cinema americano. Outro destaque é Tudo vai mal (1960), filme sobre um grupo de adolescentes que vaga pelas ruas, roubando carros. Segundo o crítico Ruy Gardnier, em texto publicado na revista de programação do cinema do IMS, "a audácia de Suzuki em filmar jovens despojados vadiando na rua evoca o paralelo com Acossado, de Jean-Luc Godard, marco da nouvelle vague francesa lançado no mesmo ano".

 

De 1963 a 1967, Suzuki radicalizou seu estilo, produzindo filmes de ação que recusam a verossimilhança, com cores chamativas e cortes abruptos. Dessa nova fase, a retrospectiva traz Detetive Bureau 2-3 (1963), primeiro filme seu protagonizado pelo ator Joe Shishido, e o grande marco de sua carreira, A marca do assassino

 

Lançado em 1967, A marca do assassino conta a história de um matador profissional que vira alvo de uma perseguição. O filme foi taxado como "incompreensível" pelos estúdios Nikkatsu, que romperam o contrato com Suzuki. Hoje é considerado uma obra de vanguarda, como pontua Gardnier: "A depuração narrativa chega a um limite com A marca do assassino. Suzuki leva o gênero ao máximo de sua expressividade, mas, ao fazer isso, ele não produz mais filmes de gênero, e sim obras abstratas e modernistas, em par com toda a reconstrução da linguagem cinematográfica que era operada pelos cinemas novos ao redor do globo nos anos 1960".

 

Após o rompimento com os estúdios Nikkatsu, Suzuki passou dez anos sem filmar.  Quando retornou, passou a atuar como cineasta independente, com autonomia para realizar seus projetos. Desta nova fase, a mostra inclui Zigeunerweisen (1980), primeiro filme da sua famosa "trilogia de Taisho", que faz referência ao Japão dos anos 1910-1920, e é marcada pelo caráter onírico. O longa venceu quatro prêmios da Academia Japonesa em 1981, incluindo os de Melhor Filme e Melhor Diretor.

 

A seleção traz ainda os dois últimos filmes de Suzuki: Pistol Opera (2001) Princesa Guaxinim (2005). No primeiro, o diretor cria uma reencenação de A marca de um assassino, mas com um viés abstrato. Já no segundo, Suzuki entra no campo da fantasia, ao contar a história de um príncipe que se apaixona por um guaxinim. Essas obras derradeiras são, como afirma Gardnier, "o dístico final de uma trajetória de um artista experimental que recupera elementos da cultura pop para criar beleza ríspida e abstrata".

 

Em cartaz até 9 de fevereiro, a retrospectiva apresenta ao público um panorama da extensa obra deste importante cineasta japonês, cujo trabalho implodiu os paradigmas de gênero. Veja abaixo a programação completa.

 

 

Serviço

Retrospectiva de Seijun Suzuki
21 de janeiro a 9 de fevereiro
 

Todas as sessões têm entrada gratuita, com distribuição de senhas 1 hora antes e limite de 1 senha por pessoa.

IMS Paulista

Avenida Paulista, 2424

São Paulo

Tel.: 11 2842-9120

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Programação completa

 

21 de janeiro

19h

Portal da carne

Nikutai no mon

Seijun Suzuki | Japão | 1964, 90', DCP

21h15

Mire na viatura

Jusango taihisen yori: Sono gososha o nerae

Seijun Suzuki | Japão | 1960, 84', 35 mm

 

22 de janeiro

19h

Fera adormecida

Kemono no nemuri

Seijun Suzuki | Japão | 1960, 85', 35 mm

21h15

Tudo vai mal

Subete ga kurutteru

Seijun Suzuki | Japão | 1960, 72', 35 mm

 

23 de janeiro

19h

Abaixo os vândalos

Kutabare gurentai

Seijun Suzuki | Japão | 1960, 80', 35 mm

21h15

Detetive Bureau 2-3

Tantei jimusho 23: Kutabare akuto-domo

Seijun Suzuki | Japão | 1963, 89', 35 mm

 

24 de janeiro

19h

Nosso sangue não perdoa

Oretachi no chi ga yurusanai

Seijun Suzuki | Japão | 1964, 97', 35 mm

21h15

A juventude da besta
Yaju no seishun

Seijun Suzuki | Japão | 1963, 92', DCP

 

25 de janeiro

16h

Mire na viatura

Jusango taihisen yori: Sono gososha o nerae

Seijun Suzuki | Japão | 1960, 84', 35 mm

18h

Fera adormecida

Kemono no nemuri

Seijun Suzuki | Japão | 1960, 85', 35 mm

20h
Tudo vai mal

Subete ga kurutteru

Seijun Suzuki | Japão | 1960, 72', 35 mm

 

26 de janeiro

18h

Abaixo os vândalos

Kutabare gurentai

Seijun Suzuki | Japão | 1960, 80', 35 mm

20h

Detetive Bureau 2-3

Tantei jimusho 23: Kutabare akuto-domo

Seijun Suzuki | Japão | 1963, 89', 35 mm

 

28 de janeiro

19h

Tóquio violenta

Tokyo nagare-mono

Seijun Suzuki | Japão | 1966, 83', 35 mm

21h15

Elegia da briga

Kenka ereji

Seijun Suzuki | Japão | 1966, 86', 35 mm

 

29 de janeiro

19h

A marca do assassino

Koroshi no rakuin

Seijun Suzuki | Japão | 1967, 91', 35 mm

21h15

História de melancolia e tristeza 

Hishu monogatari

Seijun Suzuki | Japão | 1977, 91', 35 mm

 

30 de janeiro

19h

Zigeunerweisen

Seijun Suzuki | Japão | 1980, 144', 35 mm

 

31 de janeiro

19h

Kagero-za

Seijun Suzuki | Japão | 1981, 139', 35 mm

 

1 de fevereiro

16h
Nosso sangue não perdoa

Oretachi no chi ga yurusanai

Seijun Suzuki | Japão | 1964, 97', 35 mm

18h
Tóquio violenta

Tokyo nagare-mono

Seijun Suzuki | Japão | 1966, 83', 35 mm

20h
Elegia da briga

Kenka ereji

Seijun Suzuki | Japão | 1966, 86', 35 mm

21h50
A juventude da besta
Yaju no seishun

Seijun Suzuki | Japão | 1963, 92', DCP

 

2 de fevereiro

16h
A marca do assassino

Koroshi no rakuin

Seijun Suzuki | Japão | 1967, 91', 35 mm

 

18h
História de melancolia e tristeza 

Hishu monogatari

Seijun Suzuki | Japão | 1977, 91', 35 mm

 

20h
Portal da carne

Nikutai no mon

Seijun Suzuki | Japão | 1964, 90', DCP

 

4 de fevereiro

19h
Yumeji

Seijun Suzuki | Japão | 1991, 128', 35 mm

 

5 de fevereiro

19h
Pistol Ópera

Seijun Suzuki | Japão | 2001, 112', 35 mm

 

 6 de fevereiro

19h
Princesa Guaxinim

Operetta tanuki goten

Seijun Suzuki | Japão | 2005, 101', 35 mm

 

8 de fevereiro

15h
Zigeunerweisen

Seijun Suzuki | Japão | 1980, 144', 35 mm

 

18h
Kagero-za

Seijun Suzuki | Japão | 1981, 139', 35 mm

 

21h
Yumeji

Seijun Suzuki | Japão | 1991, 128', 35 mm

 

9 de fevereiro

18h30
Pistol Ópera

Seijun Suzuki | Japão | 2001, 112', 35 mm

 

20h
Princesa Guaxinim

Operetta tanuki goten

Seijun Suzuki | Japão | 2005, 101', 35 mm

 

Todas as sessões tem entrada gratuita, com distribuição de senhas 1 hora antes e limite de 1 senha por pessoa.

ims.com.br