t3

Foto: Arquivo do Banco Nacional Checo

 

Este ano a República Tcheca celebra as cidades que são a porta de entrada para se conhecer as regiões tchecas. No entanto, existe uma ferramenta poderosa que abre todas as portas das regiões: a coroa tcheca. Em março de 2019, a moeda completou 100 anos.

 

O portal Radio Praha, com a ajuda de Ivana Vonderkova, preparou uma revisão histórica do CZK, que é compartilhada abaixo:

 

Há 100 anos, em 10 de abril de 1919, a Assembléia Nacional da República da Tchecoslováquia, constituída alguns meses antes, aprovou o nome oficial da nova moeda nacional, a coroa tchecoslovaca.

 

t1

Alois Rašín, foto: Wikimedia Commons, Public Domain

 

A Coroa da Tchecoslováquia e, posteriormente, tcheca percorreu um longo caminho com várias peripécias durante os 100 anos de sua existência. Mas, apesar das dificuldades que enfrentou ao longo dos anos, por exemplo, durante a ocupação nazista do país, quando foi chamada de Coroa do protetorado da Boêmia e Morávia, ou quando, com a divisão da Tchecoslováquia em 1993, foi renomeada como coroa tcheca, sobrevivendo até o presente.

 

Em outubro de 1918, a República Tchecoslovaca independente foi estabelecida após o colapso do Império Austro-Húngaro, após a Primeira Guerra Mundial. Alguns meses depois, entre 1º de março e 12 de março de 1919, a moeda do novo Estado independente emergiu através de uma reforma monetária secreta e da colocação de novos selos tchecoslovacos nas notas austríacas. O autor do projeto de reforma foi Alois Rašín, primeiro-ministro das Finanças da República da Tchecoslováquia, como lembra a historiadora Jana Čechurová, da Universidade Carolina de Praga.

 

“Ele era uma pessoa muito enérgica, capaz de enfrentar qualquer crise. Rašín também teve coragem suficiente para adotar soluções categóricas. Por isso, não hesitou em separar a moeda tchecoslovaca da austríaca e proceder a uma reforma monetária”.

 

Este passo ajudou significativamente o desenvolvimento da Tchecoslováquia, tanto política quanto economicamente.

 

1. O nome coroa tchecoslovaca não surgiu da noite para o dia

 

No início, Alois Rašín não pensou em criar uma nova moeda chamada Coroa da Tchecoslováquia, de acordo com Jakub Kunert, do Banco Nacional Tcheco.

 

A ideia original de Rašín era que no país poderia haver dois tipos de moedas em paralelo. Uma seria o Franco da Tchecoslováquia, cujo valor seria apoiado por materiais preciosos, e o outro, uma Coroa da Tchecoslováquia, com valor mais baixo. Quando uma nova moeda apareceu no país no início do ano, ela ainda não tinha nome. O nome oficial, Coroa da Tchecoslováquia, não foi concebido até abril de 1919, com a aprovação da nova Lei Monetária ”.

 

Os regulamentos, aprovados pela Assembléia Nacional da Tchecoslováquia em 10 de abril de 1919, encerraram definitivamente a moeda austríaca no país com um timbre do Estado da Tchecoslováquia, dando lugar ao uso oficial da nova moeda nacional, a Coroa da Tchecoslováquia.

 

Segundo Kunert, esse nome foi decidido após um amplo debate nacional. Alguns setores da sociedade queriam que se chamasse falcão, por exemplo, como a popular organização nacional de esportes; outros queriam que fosse leão, copiando o escudo do país ou até beterraba para destacar o significado da beterraba sacarina, uma das plantas agrícolas mais cultivadas no campo local.

 

2. As primeiras notas tchecoslovacas eram frequentemente falsificadas

t2

Nota tchecoslovaca de maior valor. Foto: Aurea Numismatika

 

Logo após a aprovação do nome da moeda da Tchecoslováquia, começaram a aparecer as primeiras notas de 5000, 500, 100, 10 e 50 coroas, cujos projetos foram elaborados pelo pintor tcheco Alfons Mucha. Contudo, tendo em conta que, inicialmente, as notas eram feitas em tipografias, as notas falsas apareciam com muita frequência no mercado. É por isso que as notas de 5000 coroas deixaram de ser usadas gradualmente e se tornaram um item muito apreciado pelos colecionadores, segundo Lukáš Funk, funcionário da seção de numismática do Museu Nacional de Praga.

 

“A nota da Tchecoslováquia de maior valor para os colecionadores é, sem dúvida, a de 5.000 coroas, de 1919. É apreciada porque é conhecida a existência de apenas 36 delas no mundo. Na República Tcheca, existem entre sete e oito, e o restante está em coleções numismáticas particulares ou estaduais em vários países. O preço de cada uma delas é calculado entre 98.000 euros e 195.000 euros.“

 

Por ocasião do centenário da Coroa da Tchecoslováquia, o Banco Nacional Tcheco cunhou uma moeda de ouro comemorativa com um valor nominal de cerca de 4.000.000 de Euros. Com seus 130 quilos de peso e uma média de 53,5 centímetros, é a maior moeda em um país da União Europeia e a segunda no mundo, segundo representantes do Banco Nacional Tcheco.

 

Esta moeda, juntamente com dezenas de outros artigos relacionados ao surgimento e desenvolvimento da Coroa Tcheca, pode ser vista em uma exposição intitulada '100 anos da Coroa Tcheco-Eslovaca', instalada nos antigos estábulos imperiais do castelo de Praga. A exposição durará até 12 de maio de 2020 e também mostra ensaios diferentes sobre as notas da Tchecoslováquia, realizadas por grandes pintores e artistas gráficos nacionais como Alfons Mucha, Max Švabinský e František Kysela.

 

Representantes do Banco Nacional Tcheco apresentaram outra moeda com um valor nominal de 2000 CZK, que foi cunhada precisamente para o dia do aniversário. É possível adquiri-la por 390 euros.

 

Fonte: https://www.radio.cz/es/rubrica/notas/la-corona-checa-cumple-100-anos