CHILE cop

 

A República do Chile é um país esplendoroso com um pouquinho de tudo o que há no planeta Terra: praias, montanhas, neve, deserto, planície, ilhas exóticas, florestas, vales e lagos exuberantes. Sem falar no povo, simpático e atencioso. Localizado no sul da América do Sul, o território chileno se estende da Terra do Fogo no extremo sul do continente, faz fronteiras a leste com a Argentina, a nordeste com a Bolívia e ao norte com o Peru. É banhado pelas águas do Oceano Pacífico na costa oeste e cercado pela imponente Cordilheira dos Andes no lado leste. Possui mais de 4.000 km de extensão norte-sul e apenas 177 km de largura em média. O Arquipélago Juan Fernández, famoso por ser a ilha de Robinson Crusoé, as Ilhas de Sala y Gómez, as Ilhas Desventuradas e a Ilha de Páscoa também fazem parte do território chileno.

 

Devido a sua extensa latitude, seu clima é influenciado pela frente polar e pelo mar. Além, de fatores como latitude, altitude e relevo do país. De qualquer maneira, o Chile possui quatro estações bem definidas. Considerando as diferentes latitudes no país, a época mais quente é entre os meses de outubro e abril, e a época mais gelada é de maio a setembro. As chuvas caem no verão na região do altiplano e no inverno desde a região central até a Patagônia.

 

Na zona central, as elevações da Cordilheira da Costa impedem o fluxo do clima marinho e o muro que forma a Cordilheira dos Andes, detém as influências continentais. A presença do mar torna o clima predominantemente mediterrâneo, com temperaturas suaves e amplas diferenças entre as temperaturas mínima da noite e a máxima do dia que produzem nebulosidade e ventos frescos, uma questão acentuada pela fria corrente marinha de Humboldt. Cidades interiores como Santiago, Los Andes e Rancagua têm temperatura de 8°C no inverno, e no verão chega à 20°C, com picos de 32°C. A zona sul é a mais úmida, com chuvas frequentes e menores temperaturas que a zona central. O clima na região sul é temperado e fresco e quanto mais ao sul, mais fria é a temperatura, assim como, quanto mais perto do mar, mais úmido é. Na cidade de Concepción, a temperatura média no verão é de 17ºC, com poucas chuvas que aumentam entre maio e agosto. Temuco, Valdivia y Osorno são cidades chuvosas com influência do clima mediterrâneo. A zona da cordilheira apresenta temperaturas muito baixas e no inverno as nevascas são abundantes. Já a zona norte tem clima desértico, seco, quente de dia e muito frio de noite. O Deserto do Atacama, lá localizado, é considerado o deserto mais seco do mundo. Em geral, é uma região de chuvas escassaz, à exceção no verão no altiplano por efeito do “inverno altiplânico” e raramente nas cidades costeiras. No litoral as temperaturas oscilam entre 15º e 25°C, ao passo que no interior das áreas desérticas as condições são extremas: De dia a temperatura pode chegar de 30º à 50ºC e à noite de 0º até -15ºC.

 

No chamado Norte Chico, ou Norte Pequeno, que compreende as cidades de Vallenar à Illapel, o clima é de estepe, quente e semi-árido. Uma transição entre o clima desértico do norte e o clima frio do sul. Chuvas irregulares se concentram no inverno. Na costa da região de Coquimbo, o clima é estepárico costeiro, com mais precipitações que o Norte Grande. Em La Serena a temperatura média anual é de 14,7°C. Nos vales existe um clima de menor umidade ambiental e maior temperatura, entre 19º e 20°C.

 

No norte da Patagônia, desde a cidade de Puerto Montt até o povoado de Cochrane, há importantes variações climáticas, influenciadas principalmente pelo relevo, mar e ventos, devido a sua grande extensão territorial. No território da Carretera Austral, a região patagônica de Aysén, possui um clima marítimo de baixas temperaturas, com muitas chuvas, fortes ventos e alta umidade durante o ano todo. As características do relevo provocam uma diferença de climas no setor oriental da cordilheira dos Andes Patagônica, onde o clima é de tundra, menos chuvoso e muito frio (a temperatura média de 7°C em seu setor norte e estepárico frio na parte oriental, com precipitações mais escassaz, fortes ventos e neve no inverno). No sul da Patagônia, perto de Cochrane até Punta Arenas e Terra do Fogo, o setor mais austral do continente sul-americano, predomina um clima de estepe frio no setor continental central. As poucas chuvas se apresentam na primavera e no verão e no inverno neva. Na primavera e no verão, os ventos se intensificam e alcançam uma velocidade média de 30 a 40 km/h, chegando às máximas de 100 km/h, diminuindo quase totalmente no inverno. A temperatura média no inverno é de 2°C e no verão de 10,6°C.

 

Cada região do país possui suas próprias características, porém, todas elas têm uma característica em comum: a beleza natural. Do Deserto do Atacama, Antofagasta, passando por Vale Nevado, Vinã Del Mar, Santiago, Vale do Maipo, Concépcion, Vale do Colchagua, Vale de Casablanca, Valparaiso, Parque Nacional de Torres Del Paine, Patagônia, Punta Arenas, Terra do Fogo, Chiloé até a Ilha de Páscoa, o que se vê são verdadeiros cartões postais.

 

Com tantas variações climáticas e paisagens diferentes e espetaculares, o Chile é um destino para ser visitado em qualquer época do ano e por todo tipo de público, dos esportistas radicais aos turistas que buscam apenas um ótimo lugar para relaxar e viver bons momentos. 

                                                                                                              

Ecoturismo, turismo de aventuras, turismo astronómico, etnoturismo, turismo de negócios, turismo cultural e turismo rural como o Enoturismo são seus principais atrativos. Mas, qualquer que seja o atrativo escolhido para visitar o Chile, uma vez lá, vale a pena experimentar as comidas típicas mais famosas como: “la cazuella”, uma sopa à base de carne bovina ou de ave, os “porotos con riendas”, as rendas são macarrões, “las humitas”, milho cozido e moído temperado com cebola e envolto por folhas da planta, “pastel de choclo”, pastel de milho, “las empanadas de pino”, uma massa recheada com carne, ovo cozido, cebola, uvas passas e azeitonas, ou de mariscos, além de pratos à base de pescados e mariscos frescos e o “curanto” de Chiloé, cozido de carne de boi, frango e porco com mariscos colocado num buraco na terra sobre pedras quentes e cobertos com folhas de nalca, uma planta local, para que se cozinhe no vapor. Para acompanhar os pratos, os ótimos e famosos vinhos chilenos e o pisco, um aguardente de uva produzido apenas no Chile e no Peru, são as melhores opções.

 

A capital Santiago foi fundada em 1541, por Pedro de Valdivia, que a serviço da Espanha, conquistou o território antes ocupado pelos nativos indígenas. Em 1810, a República do Chile começou sua luta pela independência, porém, tornou-se independente de fato apenas no dia 12 de fevereiro de 1818. A origem do nome Chile tem várias teorias, a principal, diz que ele deriva da palavra mapuche “chili”, que significa "confins da Terra".

 

Hoje, o Chile tem uma população de 16.970.265 habitantes. Santiago, Concepción, Temuco, Valparaíso-Viña del Mar, Antofagasta e Punta Arenas são as principais cidades. A economia chilena baseia-se na produção de matérias-primas nas áreas de mineração, agricultura, agroindústria e pesca, e a atividade siderúrgica é bastante desenvolvida nos complexos marítimos de San Vicente, Huachipato e Talcahuano.

 

A moeda do país é o peso chileno e sua língua oficial é o espanhol, mas também se fala a "chileniza", uma variação idiomática do espanhol, com novas palavras e acepções. As línguas indígenas mapudungún, o idioma dos mapuches (também conhecidos como araucanos) e dos aymaras na região andina do norte do país e o rapanui, o idioma dos nativos da Ilha da Páscoa são as outras línguas faladas no território chileno. Mapuche em sua própria língua significa “gente da terra”.

 

Dicas

 

Ao entrar no país, o visitante ganha uma permisão de 90 dias, renovável por mais 90 dias.

Água – Em geral a água é completamente segura, contudo, se sugere tomar água mineral nos primeiros dias.

Alimentos - Consumo de alimentos crus: Não é recomendado consumir verduras cruas, a menos que sejam comprados num supermercado reconhecido que cumpram as normas sanitárias para vender esse tipo de produto. Pescados, carnes e mariscos também devem ser consumidos preferencialmente cozidos.

Eletricidade – A corrente elétrica é de 220V. Os adaptadores de 3 terminais elétricos não são usados costumeiramente, porém, os conversores de 2 terminais são vendidos em qualquer comércio que venda peças elétricas.

Hospedagem – O preço médio fica entre US$ 20 e US$ 35.

Refeições – O custo médio de uma refeição vai de US$ 5 a US$ 20.

A gorjeta é opcional em todos os serviços, todavia, se recomenda dar 10% do valor pago pelo serviço.

Internet – Existe banda larga quase todo o território e conexão Wi-fi nas principais cidades do país.

Saúde – Os serviços de hospitais e serviços de urgência do istema de saúde do Chile tem a obrigação de atender à qualquer pessoa que precise de atendimento de urgência. Há centros médicos, clínicas e hospitais privados de alto nível de qualidade.

Telefonia – Há telefones públicos, celular e via satélite.

Terremoto - No Chile, ocorrem terremotos ocasionalmente e há 1.300 vulcões, dos quais 500 estão ativos. Se acontecer algum terremoto ou forte tremor durante sua estadia no país, é aconselhado a manter a calma e se estiver dentro de um imóvel, deve-se ficar dentro, se estiver fora, deve-se permanecer fora. Dentro de um imóvel recomenda-se buscar por estruturas fortes como embaixo de uma mesa, sob o batente de portas, junto a uma coluna ou canto e deve-se proteger a cabeça. Nunca fuja precipitadamente em direção à saída, nem use elevadores. Se estiver na rua, afaste-se de cabos elétricos, postes, cristais, vidros e desabamento de telhas.

Vacinas – Atualmente, não há necessidade de se tomar vacinas para entrar no Chile.

 

Horários de serviço:

 

Bancos: de segunda à sexta das 09h00 às 14h00.

Casas de Câmbio: de segunda à sexta das 09h00 às 14h00 e das 15h00 às 18h00.

Lojas: das 10h00 às 20h00. Nos feriados, a maior parte do comércio fica fechado.

 

Feriados no Chile

 

Ano Novo - 1 de janeiro

Dia do Trabalho - 1 de maio

Glórias Navais - 21 de maio

São Pedro e São Paulo - 29 de junho

Dia da Virgen del Carmen - 16 de julho

Asunción de la Virgen - 15 de agosto

Fiestas Patrias - 18 de setembro

Glórias do Exército - 19 de setembro

Dia da Raça (Encontro dos Mundos) - 12 de outubro

Dia Nacional das Igrejas Evangélicas e Protestantes - 31 de outubro

Todos os Santos - 1 de novembro

Imaculada Conceição - 8 de dezembro

Natal - 25 de dezembro

Alguns desses feriados são transferidos para a segunda-feira da mesma semana.