Iniciativa chega ao quarto aeroporto no Brasil e busca oferecer mais segurança, tecnologia e inovação para os passageiros ao embarcarem com a companhia

 

A LATAM Airlines Brasil implementou nesta semana, no Aeroporto Internacional de Florianópolis, o projeto especial denominado “Atendimento Remoto”, que traz um novo modelo de atendimento de check-in nos aeroportos. Capaz de proporcionar uma experiência sem contato para os clientes e funcionários, a iniciativa garante mais segurança e é uma aliada na prevenção contra a COVID-19. Com a implementação em Florianópolis, a nova forma de check-in continua a se expandir pelo Brasil e já chega ao quarto aeroporto (já está disponível no Rio de Janeiro/Santos Dumont, em São Paulo/Congonhas e em Vitória).

 

Aeroporto é o quarto no Brasil a receber a novidade; confira aqui um vídeo ilustrativo

 

O projeto reforça o trabalho da companhia na luta contra a pandemia e foi desenvolvido com o objetivo de implementar novas soluções para os clientes que aumentem sua tranquilidade quando forem viajar, com manutenção do atendimento com funcionários da empresa que, mesmo à distância, continuam a prestar todo o suporte no momento do check-in.

 

Essa iniciativa se soma às medidas que a LATAM já implementou desde o início da pandemia, para garantir a segurança de seus passageiros em toda a jornada de viagem, desde o aeroporto, passando pela cabine e chegando ao desembarque.

 

Funcionamento do novo modelo de operação

 

O fluxo de atendimento no novo projeto é o mesmo que ocorre atualmente, sem nenhuma alteração. No entanto, o funcionário da companhia que atende os clientes no check-in não está no guichê presencialmente, realizando o processo de forma totalmente remota de qualquer cidade do Brasil, interagindo com os passageiros por meio de um sistema de videoconferência e oferecendo todo o apoio para que o processo seja efetuado normalmente.

 

O cliente aguarda na fila, respeitando o distanciamento, até ser direcionado para uma posição de atendimento. O processo acontece da seguinte forma:

 

  • · Passo 1 –Boas-vindas ao passageiro e confirmação dos dados de viagem e documentação, através do sistema de câmeras;
  • · Passo 2 –Verificação de segurança sobre presença de artigos perigosos/proibidos na bagagem;
  • · Passo 3 –Se houver necessidade do despacho de bagagem, o cliente posiciona a bagagem na balança/esteira;
  • · Passo 4 –O atendente remoto realiza a conferência do peso e tipo de bagagem, também com auxílio do sistema de câmeras;
  • · Passo 5 –O atendente remoto realiza a impressão da etiqueta de bagagem que contém as instruções no verso para correto manuseio;
  • · Passo 6 –O cliente etiqueta a bagagem;
  • · Passo 7 –O atendente orienta o passageiro a ativar o botão de acionamento da esteira para despacho da bagagem;
  • · Passo 8 –O cliente recebe o seu cartão de embarque diretamente pelo aplicativo LATAM (caso seja necessária a impressão de um novo cartão, o atendente remoto o imprime) e o atendimento se encerra.

 

“Com esta implementação em Florianópolis, continuamos nossa expansão do projeto de atendimento remoto, totalmente focado em garantir a segurança e tranquilidade aos passageiros e permitir que possam viajar mais confiantes conosco à medida que retomamos cada vez mais os nossos voos”, afirma Rafael Walker, diretor de aeroportos da LATAM Airlines Brasil.

 

“Soluções inovadoras e tecnológicas estão no DNA da Floripa Airport e vão ao encontro do conceito de aeroporto touchless, que estamos implementando em Florianópolis. Assim, iniciativas como essa da LATAM têm nosso total apoio e são muito bem-vindas no nosso aeroporto”, comenta Ricardo Gesse, diretor geral da Floripa Airport.

 

Clique aqui para visualizar o vídeo institucional

 

Adesão dos clientes e expansão

 

Desde a implementação do projeto, no fim de junho, nos primeiros aeroportos, Rio de Janeiro/Santos Dumont e São Paulo/Congonhas, os clientes que tiveram a oportunidade de testar o novo modo de atendimento demonstraram alto índice de satisfação, atingindo 96%. O resultado motiva a companhia a continuar expandindo a iniciativa e a trabalhar em aprimoramentos contínuos.

 

Para os próximos meses, estima-se a expansão para mais nove aeroportos brasileiros, que trabalharão de forma colaborativa. O prazo para instalação de todos os equipamentos necessários e preparo das equipes no novo modelo é de 15 a 20 dias.

 

 Medidas de segurança já implementadas

 

A LATAM reforça que a implementação do novo projeto não interfere nas demais medidas de segurança e higiene em vigor desde março de 2020, com foco em assegurar o cuidado com as pessoas durante toda a crise da COVID-19. O atendimento nos balcões continua ativo e respeitando as regras de distanciamento social, assim como a opção de check-in pelo site ou app da companhia e os terminais de autoatendimento nos aeroportos.

 

Além disso, tanto as medidas nos aeroportos (filas transversais, alternadas e espaçadas nos balcões de check-in e distribuição de álcool gel) quanto às a bordo das aeronaves (uso obrigatório de máscaras, novos processos de limpeza e desinfecção profunda dos aviões, filtros que renovam o ar a bordo, além de novos protocolos de atendimento para promover a menor interação física possível com os passageiros) se mantêm normalmente nas operações da companhia. Confira essas medidas adotadas pela LATAM, seguindo as melhores práticas mundiais de higiene e distanciamento social recomendadas por IATA e OMS, no vídeo abaixo:

 

 

Nova rota LATAM Cargo em Florianópolis

 

O Atendimento Remoto inaugurado pela LATAM na capital catarinense se soma a outra novidade local da companhia. Na última segunda-feira (10), a LATAM Cargo iniciou a operação da primeira rota cargueira regular internacional no estado de Santa Catarina, na rota Miami-Florianópolis.

 

Essa rota será dedicada exclusivamente para o transporte de carga aérea em aeronaves cargueiras do modelo Boeing 767-300F. O avião é capaz de transportar em média 53 toneladas em cada voo. Além de atender Florianópolis diretamente, a nova rota semanal, operada às segundas-feiras, beneficiará todas as regiões do Estado, que tem uma indústria diversificada, e os importadores do Paraná e Rio Grande do Sul.