Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo ajuda a articular ação para viabilizar o retorno de brasileiros que estão no exterior​

 

Cumprindo as orientações do Ministério da Saúde para viajantes internacionais para contenção da disseminação do coronavírus no Brasil, o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, segue trabalhando durante o período de isolamento domiciliar. Ele está articulando a viabilização da volta de brasileiros que estão com dificuldades de encontrar voos para o Brasil neste momento de pandemia.

 

Mesmo à distância, Gilson Machado Neto conversa com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo; ministro do Turismo, Marcelo Álvaro; Ministério da Justiça, Anac e com o secretário Nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo, Bob Santos, para encontrar a maneira de como o governo federal poderá auxiliar estas pessoas. Neste sentido, as companhias aéreas Latam, Azul, Gol, TAP e EuroAtlantic já demonstraram a possibilidade de participar dos esforços para uma solução, disponibilizando seus aviões ao governo brasileiro.

 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, também está a par da situação e demonstra seu apoio à medida. Até o momento, mais de 1800 cidadãos brasileiros manifestaram a dificuldade de retornar ao Brasil. Estão em Portugal, no Peru, no Marrocos e no Caribe.

 

“Além de ser questão humanitária, pois neste momento de incertezas todos queremos estar próximos a nossos familiares em casa, nosso Governo não abandonará os Brasileiros no exterior", avalia Machado Neto.

 

O presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo - Embratur sublinha também a importância da participação da instituição neste momento anormal para conter a crise. “Temos a rara permissão para usar parte dos nossos recursos em caixa no exterior e consideramos que neste momento não há melhor investimento do que trazer os brasileiros de volta à sua terra”, defende.