Iniciativa serviu como reconhecimento oficial das boas práticas de responsabilidade ambiental e social promovidas por alguns dos mais importantes hotéis de luxo nacionais e celebra os dez anos da entidade

 

 

Muito mais que sugerir o uso consciente de toalhas, alguns hoteleiros brasileiros deram um exemplo do que significa o termo sustentabilidade e adoção de práticas ambientais em toda a sua extensão e implicações mediante parcerias com instituições públicas, ONGs e comunidade em prol de um bem comum. No final da manhã da terça-feira, 27 de novembro, um novo e decisivo passo foi dado por empresários conscientes e sensíveis às questões relacionadas à sustentabilidade, à preservação do meio ambiente, ao turismo responsável, à valorização cultural e ao desenvolvimento social. Reunidos no Hotel Emiliano, associados da Brazilian Luxury Travel Association (BLTA), juntamente com um corpo de jurados formado por cinco especialistas, participou da cerimônia de entrega do Prêmio Sustentabilidade - Sustainable Vision Award. O evento ocorreu justamente um ano após a celebração do Acordo de Cooperação entre BLTA, ICMbio e Sos Mata Atlantica. A BLTA criou um fundo de sustentabilidade e hoje repassa R$ 26 mil ao Refúgio Marinho de Alcatrazes, valor que será usado para a gestão das atividades de conservação e gestão do turismo responsável. 

 

Ao abrir a cerimônia, o presidente da associação, Martin Frankenberg, ressaltou que, em um mundo globalizado e atento às questões ambientais, “este prêmio existe porque nossos hóspedes, assim como nós, sabem que sustentabilidade não é um desejo lúdico. Ao contrário, é uma realidade que precisa ser discutida e colocada em pauta na prática cotidiana”. Complementarmente, a diretora-executiva da BLTA, Simone Scorsato, afirmou: “Nosso objetivo é promover a preservação do meio ambiente e das culturas locais, participando do desenvolvimento sustentável dos destinos de maneira efetiva e não somente no campo do discurso”.

 

Os dez associados inscritos à premiação tiveram seus projetos avaliados por um criterioso corpo de jurados a partir dos pilares Conservação, Cultura, Comunidade e Comércio. Após ampla análise, o júri anunciou os três finalistas, que apresentaram seus projetos durante o evento – e compartilharam suas experiências com outros associados: Pousada Literária de Paraty (RJ), oUxua Casa Hotel & Spa (Trancoso/BA) e o Cristalino Lodge (Alta Floresta/MT), este último anunciado como vencedor da premiação por seu projeto de turismo sustentável e conservação de florestas e seus biomas e comunidades. "Somos todos transformadores”, comemorou o gerente-geral do empreendimento, Alexandre de La Riva, referindo-se aos exclusivos hotéis, resorts, pousadas e operadores presentes e comprometidos em promover experiências sofisticadas e sustentáveis no país. "Conservar o entorno e beneficiar as comunidades constitui um propósito inovador do turismo de luxo", reafirmou, endossando a apresentação de sua mãe e fundadora da propriedade, Vitória de La Riva. “Todos nossos trabalhos têm por objetivo proteger a imensa biodiversidade do sul da Amazônia, assim como suas comunidades, por meio de projetos de conservação, pesquisas e educação”, afirmou a empresária, que é filha do fundador da cidade de Alta Floresta.

 

Em relação aos outros dois finalistas, a Pousada Literária participou com seu projeto de educação infantil na histórica Fazenda Bananal (hoje Murycana), que é sede de ações de conservação ambiental, cultural e ecológica que envolvem toda a comunidade paritiense e da região. Segundo Jane de Assis, representante do hotel na cerimônia, “a Fazenda Bananal foi restaurada e modelada como um espaço educacional para um futuro sustentável. Sustentabilidade ambiental, social, econômica e cultural refletem o seu valor em empreender”, disse, ressaltando que o destino Paraty ganha como um todo com a premiação. “Não se trata de competição. Trata-se de uma premiação colaborativa e de troca de experiências afirmativas”, disse.

 

O Uxua, por sua vez, teve reconhecimento por suas ações com o Movimento Ambientalista Mukaú Aponen (MAMA Trancoso), uma iniciativa educacional multidisciplinar e inovadora criada pelo hotel há dois anos em parceria com a ONG local Associação Despertar.  A meta do MAMA é criar ativistas ambientais nas novas gerações, influenciadores digitais do bem que eduquem e empoderem seus colegas e toda a comunidade sobre boas práticas sustentáveis.  O programa conta com 15 horas semanais de aulas, que vão de Biologia a Marketing, além de experiências reais e pesquisa de campo sobre o meio ambiente e sua preservação. De acordo com Robert Shevlin, proprietário do Uxua, "paraísos não permanecem paraísos sem trabalho duro. Este é o desafio. Precisamos ser ativistas e assumir a responsabilidade pelo nosso entorno, usar todas as ferramentas e tecnologias disponíveis, além de muita imaginação e criatividade para inspiramos nossos colegas".

 

Pouco antes do encerramento da premiação, o diretor de sustentabilidade da BLTA, Roberto Klabin, deixou claro seu contentamento com o que viu e ouviu de seus colegas. “Estou muito satisfeito e impressionado. Estes exemplos são o nosso diferencial e se refletirão no futuro. Arcas de Noé que promovem a sustentabilidade. Aqueles que não têm grandes extensões de terra protegem os seus costumes e seu entorno. Nossos empreendimentos são guardiões e aproximam nossos clientes dessa realidade”, disse.

 

Um dos jurados, o professor de Turismo e Sustentabilidade do Senac, Fernando Kanni, ressaltou o significado dessa iniciativa para o turismo brasileiro, enfatizando a hospitalidade e a brasilidade como diferenciais dessa hotelaria para inspirar o turista internacional a conhecer o Brasil e suas experiências. O júri também contou com as participações da coordenadora do Fórum Interamericano de Turismo Sustentável, Paula Arantes, da jornalista Paulina Chamorro (da Rádio Vozes e National Geographic Brasil), da diretora-executiva da SOS Mata Atlântica, Marcia Hirota, e do diretor executivo da ILTM Latin America, Simon Mayle.

 

Vale ainda ressaltar que o troféu do evento foi criado pela diretora executiva da BLTA, Simone Scorsato, que também é ceramista e utilizou madeira reaproveitada e argila como matéria-prima da peça.

 

Depoimento de outros  jurados da premiação: 

 

Márcia Hirota - Diretora executiva da SOS Mata Atlântica
“Acreditamos ser fundamental o equilíbrio entre os empreendimentos  dos associados da BLTA com a valorização da região e envolvimento das comunidades locais. Os finalistas são unidades exemplares que garantem a conservação ambiental e o desenvolvimento por meio da melhoria da economia e os arranjos produtivos locais. Iniciativas como essas contribuem para inspirar novos negócios em outras regiões e é cada vez mais crucial que o setor hoteleiro leve em consideração as questões socioambientais para a perenidade de suas ações”.

 

Paula Arantes - consultora em Turismo Sustentável e coordenadora do FITS (Fórum Internacional de Turismo Sustentável)
Gratificante participar desta iniciativa, conhecer um pouco mais sobre as boas práticas para a sustentabilidade adotadas pelos empreendimentos participantes do prêmio. Diversas ações inovadoras: lindos projetos desenvolvidos com comunidades locais, produção de orgânicos, recuperação de áreas e de incentivo a criação e gestão de áreas protegidas. Cada um, de sua forma, está fazendo a diferença nos destinos onde se encontram!”

 

Paulina Chamorro – jornalista da Rádio Vozes, apresentadora do programa ‘Vozes do Planeta’ e colaboradora da National Geographic Brasil

 

“Fiquei muito feliz com as propostas inscritas e também com os resultados. Tudo isso reforça a importância da criação de um prêmio dessa modalidade e a referência em que pode se tornar. Aliás, esse prêmio já nasce como referência que faltava nesse setor de turismo para as questões de sustentabilidade, onde saem ganhando os clientes, os consumidores, os empreendimentos e todos envolvidos. Ao se incentivar e adotar experiências que demostram estar em conexão com a natureza e com essas culturas maravilhosas que o Brasil tem, todo mundo sai ganhando.”

 

Simon Mayle - diretor executivo da ILTM Latin America (International Luxury Travel Market)
“Como estrangeiro morando no Brasil, aprecio o quanto a natureza brasileira é rica para um viajante internacional - celebrar, cuidar e educar comunidades e atravessar essa riqueza deve ser uma missão de todos nós que trabalhamos na indústria de viagens de luxo. Parabéns à BLTA por tomar essa iniciativa e sinto-me honrado em fazer parte dos júri.”